sábado, 23 de junho de 2012

Se há o Diabo até na Coca-cola...

Imagem: arquivo Google




versão IN (subliminar?)


otercnoc od sioped
euqelom onamuh ojir rama
somsapse & sodiuqíl ed oiehc

- esauq uo - otartsba mu
osrev etnem anivid setnad omoc
evarg & ecod olitse ed ateop otrec


(LUIZ FILHO DE OLIVEIRA. BardoAmar, Tersina, 2003.) 



8 comentários:

Janice Adja disse...

Vamos e venhamos, a pessoa que percebei é um grande observador .

Beijos!

Cristiano Marcell disse...

Muito bom!

Cynthia Osório disse...

não vi diabo, só humano. rsrs

Luiz Filho de Oliveira disse...

Janice, Marcell, Cynthia, essa pessoa é o diabo mesmo! Que imaginação diabólica!

Cleyson Gomes disse...

Olá, Luiz Filho! Gostaria de fazer uma troca: meu livro "Poemas Cuaze Sobre Poezias" por um dos seus. Topas?

Abraço!

Luiz Filho de Oliveira disse...

Cleyson, tudo certo. Entrarei em contato pelo seu e-mail.

TaTa disse...

Aqui ou acola. A maldade ( e a loucura ) está nos olhos de quem lê.

Só em Palavras disse...

Ei!
Adorei o comentário que deixou la
no blog!
Mas esse seu poema espelhado aqui
é simplesmente genial.
Vou usar com meus alunos de
Oficina da Palavra, posso?
Troco informações com alunos
de um projeto social na idade de
sete a doze anos,
eles vão adorar.