sexta-feira, 15 de julho de 2011

Poesia: um dos ondes humanos


catalogação da obra ou o poema dá obragem

poesia universal
poesia via-lacteana
poesia sistêmico-solar
poesia terrenumana
poesia sul-ocidental
poesia sul-americana

poesia brasileira
poesia nordestina
poesia meio-nortista
poesia piauienssísima
poesia campurbana
poesia todo-bairrista

poesia caseira
poesia de gabinete
poesia de mesa
poesia de papel
poesia de tela:
poesia mesma!

(Em qualquer desses lugares e neles todos.)


Luiz Filho de Oliveira. Onde Humano. Teresina: Nova Aliança, 2003.


2 comentários:

ROGEL SAMUEL disse...

BRAVO! poeta de poesia de verdade!

CHIICO MIGUEL disse...

Caro Poeta,

Você faz poesia de nada, desde que tenha palavras, repetidas ou não. agora há gente em quem é muito difícil obter um milímeatro de poema com poesia. Pode até fazer poesia,sem poesia, sem nada, de merda.
Gostei da sua ousadia, mas peenso que é apenas uma experiência. Pode ser sim. Por que não? Todos nós estamos aprendendo.
abs.
chico miguel