terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Cartão abertíssimo a Rogel Samuel em retribuição ao Diamante azul





Esta Pérola por conta do recebimento de uma pedra preciosa ofertado pelO Amante das Amazonas


Um Eu-Poeta
tira da Concha-Cachola
este Poema-Pérola

e o-dá de presente
no presente texto a alguém
bem
gente grande: seu nome revela Deus

eis a cartinha do cartão:
Irmão caríssimo Profeta de Israel
venho por Bem trazendo-te Paz

não sou eterno  

senão enquanto escrito versos –
mas gravo tal Pérola negra na branca tela

escrita primeiro
pela lívida marca do lápis grafite
carbono que dá vida fictícia à noite amada

pois primo antigo do Diamante
amado: jóia pura beleza da química
vaticina a amizade entre os pares

caridade lírica ao menos
ao mais: ofereço-te matéria Vida
esta oferta ruda da parte minha

não sou puro –
se sim seria engano –
portanto te-mostro meus compostos

em especial este
composto depois de milhões de motes
para alguém tão distante & próximo

esta Pérola – justo Juiz –
para lá de elementos de natura traduz
em sua mistura quanta humana substância





2 comentários:

ROGEL SAMUEL disse...

só agora leio seu extraordinário poema, uma pérola, primorosa, primo

Luiz Filho de Oliveira disse...

Um presente, prezado.