quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

SUZY? ELA É MINHA BONECA, MORA? BICHO, OLH’OS POEMAS Q FIZ PRA ELA!

 Foto: por Suzy Reis

I

onde brilho espelho teu olho

olhos verdes:
onde me-virem...
virem-me avessos!


(A formar um par onde ser é estar.)



II


ninguém é obrigado a aceitar-ela masporém mo-obrigo 

e eu que
não sou santo
católico nem nada (nonada)

onde ela 
me-deu aquela bola
só olhei pros lados (olhos)

impedido?!
desconfiado?!
desmerecido?!

e não tive dúvida
e corri para abraçá-la
e dada mais nada de esmola


(Onde o jogo é comum a todos os inscritos.)



III


fui eu quem te-prometeu a vida num poema-cantiga

eu sou no teu cio
rio que desarde o dia
compondo teus sóis
sons!

eu suo os teus chãos
mãos a soar tais metais
plantando teus sons
sais!

eu subo os acordes 
cortes na carne do ar
solando teus sais
sóis!


(Em Caxias, num leito de folhas ex-brancas.)



(Luiz Filho de Oliveira. Onde Humano. Teresina: Nova Aliança, 2009.)



18 comentários:

Cristiano Marcell disse...

Muito bonito, meu caro amigo! Poema bem ecrito demai!

Lucas Holanda disse...

Todos ridiculamente excelentes, à melhor moda pessoa!
abraço

Luiz Filho de Oliveira disse...

Lucas, esse seu paradoxo é uma parada, inicialmente, meio finalmente... mas tudo bem, obrigado.

Marcell, vc, sempre, uma alma sensível. Valeu, net'amigo!

D.Everson disse...

fui eu quem te-prometeu a vida num poema-cantiga

eu sou no teu cio
rio que desarde o dia
compondo teus sóis
sons!

eu suo os teus chãos
mãos a soar tais metais
plantando teus sons
sais!

eu subo os acordes
cortes na carne do ar
solando teus sais
sóis!


(Em Caxias, num leito de folhas ex-brancas.)

cara esse poema é bonito de mais =]

Luiz Filho de Oliveira disse...

É, D. Everson, também gosto dele muito. Esse é um tipo de composição q me aparece qdo tiro a viola do saco: cantigas d'amor mundano.

Anônimo disse...

Interessante, como de resto toda sua obra. Mas... o amigo não gostará de um golinho da morena Cuba Libre ? Noto uma certa 'desafeição' para algumas temáticas, embora eu as perceba em sua poética, mesmo com um aparente pavor de estigmas. O que é bom, e isto não é um dogma (ainda que valendo tanto quanto), resiste e mais faz que a penas só-breve-viver. Sua Poesia é boa e poderá ser melhor ainda se não tiver tanto medo/timidez de ser mais, bem mais.

Anônimo disse...

bem mais(,) maior que apenas poesia (ma-i-s Poesia) . . .

Luiz Filho de Oliveira disse...

Apesar de achar esse tipo de comentário um tanto desviado, mas responderei aos anônimos: não sei de q "desafeição" vc, 1º anônimo, fala e, muitíssimo obrigado pela oferta da tal "morena cuba libre", mas não sei de q se trata; e de que medo/timidez vc fala? seja claro! Aos outros, valeu pela fala; espero q tentem, da próxima vez (se houver!) se identificar; é mais agradável saber com quem dialogamos.

Cristiano Marcell disse...

Desculpe-me intrometer no seu quadro de comentários, prezado amigo! Assim como você, não consegui entender crítica nada construtiva do anônimo. Foi um ato extremamente desnecessário o dele. E já que esse é um espaço democrático, queria deixar aqui,sem a pretensão de ser deselegante, que discordo totalmente do anônimo e para tal, ponho meu rosto para ser identificado ou meus dados mínimos.

Caro poeta de talento crescente, não se importe com tais comentários.

Continue escrevendo de forma sensível e verdadeira como já o faz há tempos. acompanho sua trajetória e sei de seu talento.

Muita Paz!

Prezado amigo, caso tenha tempo, visite-nos no blog http://poetasdemarte.blogspot.com, no Haicais de Domingo. A entrevista dessa semana é com marli Franco.

Desde já, muito obrigado!

Luiz Filho de Oliveira disse...

Claro, meu caro Marcell, q sempre terei tempo pras coisas agradáveis, o que é o caso de seus blogs. Valeu.

Cris de Souza disse...

Gostei de ver...

Evoé!

Alê disse...

Amo olhos...

E os meus são verdes...

Esse me marcou,


Bjkas

Cynthia Osório disse...

fico feliz quando encontro poesia,Luíz, há evidências de ótimos voos pra nós!

sérgio disse...

Luiz,
grato pela vista e comentário! Gostei do seu blog...belos poemas; curto poemas e escrevo alguns de vez em qdo.
Abração apertado@

sérgio disse...

"eu sou no teu cio
rio que desarde o dia
compondo teus sóis
sons!"...
Beleza essas frases tão palpáveis de sensações!!

VILMA PIVA disse...

Olá Luis, adorei conhecer teu blog de poemas bem escritos.Sua sensibildade vai solando os ares com determinação. Parabéns! Obrigada pela visita ao meu blog. Te sigo. Bjs.

ROSIDELMA FRAGA disse...

Todos os péssimos poemas passarão, mas este poema Luiz Filho, PASSARINHO porque transcende, fica, finca, enraíza. Gostei imensamente.

Pergunta: Como você faz para que os comentários recentes apareçam do lado e não no fim do poema publicado? Sou ignorante nessas coisas. Por isso, respondo via e-mail e não em blog.
Abraços em verso.
rosidelmapoeta.blogspot.com

Luiz Filho de Oliveira disse...

Cris, Alê, Cynthia, Sérgio, Vilma, Rosidelma, obrigado pela visita camarada nesta página. Até mais elas...