quarta-feira, 23 de novembro de 2011

CARDÁPIO DO TERRENO DA POESIA




Para colher de colher

um poeta contra
a fome de letras planta
outro poema no planeta

(Luiz Filho de Oliveira. Deleituras  para Comer na Rua, 2011.)



15 comentários:

Anônimo disse...

Que lindo! Vc é realmente suprendente,gosto mto do seu trabalho...poesias,crônicas.Parabéns! Luiz,vc é um poetas com poucos! Abraços,Mariano.*não tenho e-mail!

Luiz Filho de Oliveira disse...

Mariano, seus comentários são sempre bem-vindos, porque são de incentivo. Agradecido.

Anônimo disse...

Oi Luíz! Td bm! Vc continua ótimo no que escreve.Eu sempre gosto destas poesias que m fazem refletir...um grande abraço,Érica.

Luiz Filho de Oliveira disse...

Érica, fique à vontade e volte sempre que puder. É muito bom que a minha poesia a faça pensar. Pensemos, então.

Cristiano Marcell disse...

Continue com plantando seus lindos e interessantes escritos. Certamente colherá muita coisa boa da vida!

Abraços, prezado poeta!

Anônimo disse...

Caro Luíz, como sinto sua falta nas rodas de poesia...vc sempre com altivez e sabedoria declamando poemas...bons tempos daquele Sarau! Vc é ótimo,continue sempre escrevendo.A última vez q t vi ,foi na Tv,vc tá importante! Um grande abraço!Fran.

Luiz Filho de Oliveira disse...

Marcell e Fran, agradeço pelo incentivo de vocês. Escrever e falar poemas é realmente algo de que gosto muito mesmo.

Jefferson Bessa disse...

Gosto do modo como encontra a palavras, Luiz! Também adorei o título.
Um abraço.
Jefferson.

lucas repetto disse...

E estamos num mundo demasiado palavrótico!

Gostei demais (...)

Luiz Filho de Oliveira disse...

É, Jefferson; essa "procura da poesia" é o desafio nosso de poeta.

Sim, Lucas, há palavras de mais e de menos.

Anônimo disse...

Filho de Oliveira, que também é Luiz, consegue nos presentear poesia quando ainda estamos a apreciar uma outra, anterior àquela, ou de um outro trabalho dele, ainda em estudo ou leitura. Fico contente em saber que a produção literária piauiense tem esse perfil.

Luiz Brasil

Luiz Filho de Oliveira disse...

Grande, Brasil. Meu país é mesmo a poesia. Nessas terras, sempre quero estar trabalhando. Valeu, mano.

Marli Franco disse...

Luiz caro Poeta admirável teu espaço!
Apreciei muito conhecer o teu trabalho em especial os haicais virei outras vezes aprimorar o meu sentir em tua poética.
Um beijo de violetas

Luiz Filho de Oliveira disse...

Marli, fique à vontade, pois vc sempre será bem-vinda.

Givalto Sucupira disse...

Boa prof...